Estudo do CHRC Revela que um terço dos portugueses não segue a Dieta Mediterrânica

O artigo foi publicado na revista científica Nutrients, com primeira autoria do investigador Nuno Mendonça, epidemiologista nutricional e investigador do Comprehensive Health Research Centre e da Unidade EpiDoC da NOVA Medical School.

Da esquerda para a direita: Ana Rita Henriques, Ana Rodrigues, Nuno Mendonça, David Lopes

 

“Em Portugal, os hábitos alimentares inadequados são uma das principais causas de anos perdidos de vida saudável por incapacidade” diz o investigador, reforçando que a dieta Mediterrânica tem sido associada a uma série de benefícios para a saúde, nomeadamente a prevenção de doenças cardiovasculares, síndrome metabólica e algumas doenças neurodegenerativas. 

Apesar da sua implementação ser um dos objetivos do Programa Nacional de Promoção da Alimentação Saudável, a adoção desta dieta em Portugal, considerada património cultural da UNESCO, tem estado abaixo das expectativas. Um estudo de coorte com adultos Portugueses releva que 1/3 apresenta baixa adesão à Dieta Mediterrânica e que este número ainda é maior nos grupos socioeconómicos mais baixos.

“Aqueles que eram mais jovens, que tiveram menos anos de educação formal e com menor rendimento eram menos propensos a aderir a este padrão alimentar”, diz Nuno Mendonça, acrescentando que “para serem bem sucedidas, futuras políticas de saúde que pretendam aumentar a adesão à dieta Mediterrânica terão de ter especial atenção a estes grupos de indivíduos”.

O artigo científico, “Low Adherence to the Mediterranean Diet Is Associated with Poor Socioeconomic Status and Younger Age: A Cross-Sectional Analysis of the EpiDoC Cohort” contou com o contributo de outros investigadores do CHRC, como Ana Rita Henriques, Helena Canhão, e Ana Rodrigues, entre outros investigadores de outras instituições de saúde.

Conheçam esta investigação com mais detalhe no site do CHRC e leiam o artigo completo no site da revista Nutrients.